domingo, julho 18, 2004

Soneca, o Leonardo Da Vinci sonolento
 
Muito aqui se falou a respeito de Soneca, o nosso intrépido líder, e suas aventuras desventurosas. Poucos, porém, sabem de seu intelecto científico desenvolvido e de suas invenções geniais, engendradas por ele num dia desses qualquer lá no CEFET.
A broca que faz furos quadrados é provavelmente a mais famosa delas. Resultado de uma pesquisa que durou anos, esta maravilhosa invenção permite a você criar um furo perfeitamente quadrado em sua parede! Embora corram certos boatos escandalosos a respeito do possível mau uso deste aparelho (dizem as más línguas que, no período de maior carência do Soneca depois de desmanchar com a Hélia, o Soneca encheu a parede de seu quarto de buracos - cuja utilidade eu nem quero imaginar) não se pode imaginar como seria o mundo sem esta maravilhosa invenção.
A lâmpada que faz escuridão é uma opção para quem não suporta a luz do sol. O que seria do Mimi sem ela?
Na época o Soneca inventou mais um monte de invenções malucas, e eu não consigo lembrar das outras, alguém lembra? A mais recente de suas invenções é uma boneca inflável totalmente indistinguível de uma mulher verdadeira, que era apresentado a todos como sua namorada Hélia. No entanto, as necessidades financeiras de nosso amigo (conhecido por não ser capaz de recusar assinaturas de revista de nenhum vendedor durante as bienais do livro) o fizeram vender uma versão menos sofisticada desta tecnologia revolucionária para empresários americanos que rapidamente a colocaram no mercado (veja no endereço http://www.eroticshopping.com/affiliates/menupage.cgi?category=LoveDolls&identifier=348213). De qualquer modo, aqui vão alguns pedidos, sugestões de invenções para nosso Leonardo da Vinci sonolento:
O toca-CDs que faz silêncio - baseada no mesmo princípio físico da lâmpada que faz escuridão, este engenhoso aparelho é ideal para quem tem vizinhos que gostem de sertanejo ou simplesmente não suportam mais ouvir o Sergio falando (cala a boca sérgio!). Uma versão seletiva, que se acione automaticamente a cada vez que passe na rua um carro de som com propaganda eleitoral, também seria altamente desejável. Ou quando tocasse no rádio aquela música do "tô nem aí" (tirando o Sergio, existe coisa mais irritante?).
(em homenagem ao eduardo) Um carro de baixo custo, feito de papel higiênico: de modo que ele finalmente possa comprar um carro. COMPRA UM CARRO, SWITCH!!
(em homenagem a mim mesmo) Um jegue de baixo custo.
(em homenagem ao adriano) Um arquivo .jpg duplo, que na verdade contém duas imagens. Uma, seria aquela da paisagem inocente que apareceria caso a namorada abrisse o arquivo no computador. Quando a namorada estivesse longe, o cara digitava a senha, o arquivo automaticamente se tornava aquela fotografia de sexo hardcore que foi puxada na internet.
(em homenagem ao sergio) Uma pintura hipnótica que, ao ser mostrada a uma mulher, faça-a automaticamente acreditar que seu nome seja Aliiiiiineeeeeee.
(em homenagem ao gustavo) Uma régua de 50 cm e 20 cm de grossura para ele utilizar lá nos seus desenhos (e pra outras coisas também, afinal, uma vez que ele já foi arquiteto e eu nunca ouvi falar de alguma coisa como ex-gay...)
That´s all folks!
Anderson Brasil está de férias da faculdade e, embora ainda tendo muitas coisas pra fazer nessas breves duas semanas, aproveitou essa época do ano mais light para cumprir uma promessa antiga de postas aqui e até, quem sabe, ajudar a revitalizar este blog, que anda mais parado do que a Av. Brasil na hora do Rush.