quarta-feira, abril 28, 2004

A CAAASA DO ESPAAAANTO - Parte Final
maior, melhor e com pausa dramática


No dia seguinte surgiu um grande problema de ordem biológica: insetos mutantes invadiram a casa: um pernilongo gigante e um grilo igual a uma folha verde, além de uma mariposa do tamanho de uma águia nos assombraram. Nossa atitude então foi mandar o Sergio comprar um pesticida. Por que o Sergio? Ora, porque ele já tava enchendo o saco e alguém tinha que ir.

Sozinhos, achamos que iríamos ter um pouco mais de sossego, mas algo terrível aconteceu: saído direto de um bloco de piranhas que passava na avenida central, um indivíduo mascarado e com um facão na mão invadiu a casa. Parecia surpreso por encontrar quatro pessoas. Olhamos espantados para a figura sinistra e corremos para tentar nos defender. Luana foi para a cozinha e pegou uma faca. Tremendo, apontou para o elemento e gritou, ou melhor, falou em seu tom habitual de voz, que é do mesmo volume de um grito:
- Não se aproxime!!!! Eu tenho uma faca!!
- Hahahaha... isso é uma faca? Não, ISTO é uma faca!!! (pelo visto, o maníaco havia assistido "Crocodilo Dundee").
Com um golpe, ele desarmou Luana e bastaram mais três facadas para que Luana estivesse morta e totalmente esquartejada (ele deve ter dobrado ela pra cortar)

Eduardo, claro, estava por perto, mas não esboçou nenhuma reação. Quando o assassino se virou pra ele, ele sorriu e disse cordialmente:
- Oooh, senhor maníaco!! Que legal!!! Gostei, gostei!!! Me esfaqueia também, por favor!!!
- Rapaz, você não é um pamonha: é um banana! E vai morrer como tal!!!
E o mascarado passou a faca no pobre lusitano, de modo a descascá-lo completamente. Depois comeu.

Eu havia corrido até o quintal e procurei desenterrar minha arma secreta: dois quilos de sardinha salgada que eu havia enterrado para que apodrecesse e virasse aliche. O maníaco ao me ver segurando a sardinha podre quase deu um pulo de alegria:
- Aliche!!! Eu adoro aliche!!!
- P-puxa, e-eu também adoro. A-aliás eu achava que mais ninguém além de mim gostava...
E o maníaco com a voz carregada de ódio respondeu:
- Só pode haver um!!!! (pelo visto, o maníaco havia assistido "Highlander").
Pegou o facão e cortou minha cabeça fora. Morri naquele momento.

Brasil, aterrorizado e, mesmo em momentos críticos, fã de séries americanas, gritou:
- Oh, my god! You killed Kenny!!! You bastard!!!
O matador então virou-se para ele e disse:
- Osama, eu tenho simpatia pela sua causa, mas eu tive parentes mortos naquele avião. Então você pode escolher como vai ser punido!
- Mas eu não sou o Osama! Eu não me importo de morrer! Só não me deixe viver sem o canal FOCKs! Vai passar o último episódio de Friesks na semana que vem!!
- Ah, então, já que você não se importa eu vou te matar mesmo! Odeio essas bichinhas que assistem enlatados americanos!
E o maníaco guardou a faca, pegou uma bazuca (não me perguntem onde ele havia escondido a bazuca) e antes de alvejar Brasil, gritou:
- Hasta la vista, baby!! (pelo visto, o maníaco havia assistido "O Exterminador do Futuro II").

Quando sorrateiramente caminhou para o portão da casa, deu de cara com o Sergio.
- Não! Não é possível! O Sergio nãaaaooo!!!
- Aaah? Quem é você com essa mascarazinha de viado?
- Para! fique aí senão eu te mato, como matei seua amigos!!!
- Aaaah, eu sou imortal! Eu sou magnânimo! E eu tenho sempre a razão! Enfia essa p**** dessa bazuca no c*! Se me explodir eu vou me regenerar e cada pedacinho meu se transformará em um Serginho!!
- Nãaaaaaaaaaaaaaaaaoooo!!!!

Enquanto chorava copiosamente, Sergio retirou a máscara do maníaco.
- Espera aí... mas você é o...

(pausa dramática)

-...mas você é o Clodovil!!!
- Claro que sou eu, meu amor! Eu teria matado todos, mas se não fossem esses garotos cretinos e esse cachorro... (ele deve ter assistido "Scooby Doo")
- Que cachorro? E porque você matou esse bando de bicha?
- Porque eles armaram pra que eu fosse demitido da CNT há alguns anos atrás! Eu fiquei na miséria porque ele espalharam na emissora que eu era gay! Isso era uma inverdade!!!
- Aaaaaah, mas nenhum deles trabalhou na CNT...
- Como não? Eu fui informado que eles tinham uma casa aqui na rua 13!
- Aaaaaah, sua bicha burra!!! Aqui é a rua 12!!!
- Ah, é? Puxa... então foi mal aí... até mais.

Fiiiiimmm...

Gustavo Moore vai terminar o post porque lembrou que está morto, assim como os leitores do blog, que não se manifestam mais