sexta-feira, novembro 21, 2008

Lugares do CEFET para se visitar antes de morrer:
A PISCINA-PÂNTANO MUTANTE DO INFERNO

A Educação Física nunca me trouxe boas lembranças. Eu sempre era o último a ser escolhido para os times, sempre depois das meninas, do moleque míope perneta e do cone da CET-Rio. Era uma negação em esportes com bola assim como nos esportes sem bola - nestes pelo menos minha vergonha não era tão aparente - e por isso mesmo era contra frequentar as aulas, afinal escola é pra se estudar e não pra se fazer força... bem, tá certo... eu não fazia nenhum dos dois!

Mas tendo entrado no CEFET em 1992, tive uma grata surpresa ao saber que lá havia uma piscina semi-olímpica, e logo uma enorme decepção que ela era tão útil quanto um carro sem volante. A água apresentava uma cor diferente a cada semana graças aos lactobacilos vivos nela contidos. A situação melhorou no ano seguinte quando a consertaram e - incrível - passaram a limpá-la quase todo mês.



As primeiras árvores com movimento voluntário
nasceram na piscina do CEFET!

Aquecida pelo relento da madrugada e aromatizada pelo santo cloro ultra-concentrado, a piscina nos deixava coloridinhos: roxos de frio, brancos de medo de micoses, com a pele salpicada de pontos vermelhos de dermatose com os cabelos verdes pela química sinistra. Aliás, uma piada recorrente na época era que a tabela periódica dobrou de tamanho depois que analisaram a água.

Atualmente, serve como ringue de patinação no inverno e tanque para mistura de concreto para o pessoal de Edificações no verão. Estando no CEFET, não deixe de conferir! Pague para entrar, reze para sair!

Gustavo Moore já frequentou piscinas na Riviera Francesa, em condomínios na Barra e em Mônaco, mas garante: a do CEFET era mesmo a pior

terça-feira, julho 08, 2008

PROFISSÃO: PROFESSOR
Perfil: Bittencourt


Ainda na categoria de mestre "Vilma", uma figura marcante em todo o curso foi Bittencourt, professor altão e desengonçado de igualmente grande coração. Vivia em rivalidade com o Eugênio, um professor esquisitão. Ambos carregavam uma legião de "rolinhas", que quando se encontravam, pareciam Hooligans em um jogo Arsenal versus Manchester. A ABODE (Associação dos Baba-Ovos do Eugênio) e a ABOBIT (Associação dos Baba-Ovos do Bittencourt) eram duas forças antagônicas que representavam a mesma merda.

Foi o primeiro professor que eu conheci, ainda pré-calouro, que me deu muita motivação pra começar o curso. Motivação esta que eu perdi até o fim do primeiro ano, não por culpa dele. Os outros alunos falavam muito bem dele e de suas aulas e eu mal via a hora de ter as primeiras.

Só fui tê-las no quarto ano, de telecomunicações, e, apesar do quadro cheio de informações, nada era copiável: o quadro era apenas um rascunho do que ele queria explicar, o que transformava os cadernos dos CDFs mais organizados em verdadeiros tesouros nas copiadoras. Seus dois tempos semanais de aula eram divididos ao meio: um tempo para a matéria e outro tempo para as teorias conspiratórias mais loucas. Para Bitt, Kennedy e Elvis estavam vivos dançando hula-hula na Argentina, durante um churrasco de algas na casa de Hitler. Satélites espiões da CIA? DNA alterado antes do nascimento? Lavagem cerebral da Globo? Tudo era possível em suas aulas (a última especialmente), e o pior: ele partia para esses assuntos durante a explicação da matéria! O negócio fazia sentido pela sua lógica!

Em 2003, comecei a carreira de infografista/ ilustrador pelo jornal O Globo e lembro da expressão em seu rosto quando revelei o fato a ele. Seu semblante transmitia um misto de vergonha por ter ajudado na minha formação e raiva pela traição de seus mais enraizados ideais. Nesta última visita, pra mostrar que não haviam ressentimentos, deixei uma caricatura dele no quadro branco, já um tanto lotado de pixações de ex-alunos. Quadro este que ele não deixa fotografarem, já que carrega mensagens extraterrestres importantes!

Ainda dá aula no CEFET e tem extamente a mesma aparência de 15 anos atrás

Gustavo Moore acredita! Acredita no Papai Noel, no ataque da seleção e no Rubinho Barrichello

sexta-feira, fevereiro 01, 2008

GIDATFOLIA 2008

Onde a galera passará o carnaval no ano de 2008? Fontes não confirmadas como o jornal "Extra", o programa do Datena e Dona Aurora, a coroa que mora no meu prédio e sabe da vida de todo mundo têm essa resposta e o blog do Gidat passa em primeira mão aos nossos 2 leitores.

Adriano - Irá virar 3 noites de pura folia calculando tolerâncias de resistores e revisando provas do ano retrasado que ele acha que deu um décimo a menos injustamente. Entre uma prova e outra brincará com seu recém-instalado emulador de aquaplay.

Brasil - Irá aproveitar suas duas horas de folga para concluir um projeto arquivado há mais de dez anos: calcular o número "pi" até sua décima milésima casa. Ele acredita que tal façanha renderá a ele um prêmio Nobel de encheção de linguiça.

Betoni - Vai beber até cair, mesmo que no lugar em que vive não se comemore o carnaval.

Eduardo Sweet - Pretende contabilizar o número de vezes que dissemos "Sweet, compra um carro!" para posterior processo. O Flávio será o advogado.

Flávio - Passará vários trotes ao Bittencourt com muitas teorias conspiratórias. A cada interrupção do pobre professor para protestar, ele irá demostrar com teorias pópias que o mestre está errado, como em um julgamento. Esta única ligação durará quatro dias e será gravada para comercialização posterior.

Mimi - "Ele este ano vai sair de diabo. Só falta o rabo, só falta o rabo..." talvez o Soneca dê uma força pra ele.

Moore - Depois de uma breve passagem pelo Mundial, jogará todas as versões de Street Fighter de toda a sua coleção de videogames, com todos os personagens em sequência. Vida após vida, continue após continue, até o Game Over final. Amém!

Sergio - Irá se fantasiar de broa de milho e ingressará no bloco das Alines, onde tentará se dar bem, encontrando a Aline perfeita. Se não der certo se auto-punirá participando do baile dos Astolfos.

Soneca - Irá pegar um plantão bacana pela 2.252.313ª vez e nas horas vagas irá arrumar o rabo pra fantasia do Mimi. O Edvar entrará no rabeio, digo, rateio.

Gustavo Moore sairia no bloco das piranhas, mas cobraria muito caro pelo programa